quarta-feira, abril 29, 2009

Revista sobre a Índia nas bancas


Já está nas bancas de Macapá a revista O fascinante mundo indiano. Esse é um dos trabalhos editoriais dos quais me orgulho. Fiz o texto da contracapa, além dos textos sobre o Bhagavad Gita, sobre o Hare Krishna e sobre Gandhi. O Matheus contribuiu com um texto sobre o vegetarianismo e a revista fecha com o texto do Bhagavad. Uma boa dica para quem assistiu a novela e quer realmente saber um pouco mais sobre a filosofia, religião e modo de vida indiano.

Bancas de revistas de Belém estão sendo perseguidas

O meu amigo Kaverna estava me contando a situação que o levou a fechar sua banca de quadrinhos. Ele foi procurado quatro vezes por fiscais da prefeitura, com intimações. Diziam que ele estava vendendo produtos proibidos: CDs e incenso. O Kaverna vende quadrinhos e dizia isso a eles. Os fiscais iam embora e voltavam algum tempo depois, com a mesma intimação. Como a a acusação "não colava", eles inventaram uma última intimação. A banca foi obrigada a fechar por "atrapalhar o passeio público". Outras bancas estão sendo intimadas e o clima de terror se instalou.
Bonito, hein, senhor Duciomar... em plena crise mundial, perseguir bancas de revistas que pagam impostos, têm alvará e divulgam a cultura.
Para quem não sabe quem é o Duciomar, Lúcio Flávio Pinto dá a ficha.

A gripe suína e a peste negra


Ontem eu estava conversando com colegas de faculdade sobre a gripe suína. Falávamos do clima de terror causado pela possibilidade de uma pandemia. Para se ter uma idéia, no México, os atores de novelas não estão mais se beijando para não incentivarem as pessoas a terem contato físico. Parece que, apesar de toda a evolução da ciência, o mundo ainda está muito vulnerável a uma doença devastadora. Se por um lado existem locais em que o desenvolvimento é grande, por outro lado, existem locais como Macapá, que não têm nem rede esgoto. Não estamos, portanto, muito diferentes da Idade Média.
A maior mudança parece ser de mentalidade. A maioria das pessoas já tem noções básicas de higiene. Na época da peste negra, a melhor forma que as pessoas encontravam de combater a doença era matando os gatos (tidos como mascotes de bruxas) e os judeus (tudo que acontecia era culpa dos judeus...).
Aliás, com a mentalidade que se tinha na época, é surpreendente que a peste negra não tenha matado toda a população da Europa...

Borges, el memorioso


Se estivesse vivo, o escritor argentino Jorge Luís Borges estaria com aproximadamente 110 anos em 24 de agosto deste ano. Em seu centenário ele é festejado como o principal escritor latino-americano deste século (quiçá o melhor do mundo). Sua importância é tão grande que há um site dinarquês deestudo de sua obra. Entre os pesquisadores integrantes ou colaboradores do centro estão filósofos, semióticos, críticos literários e até escritores famosos, como Umberto Eco.

Fui apresentado a Borges em 1994. Um colega de redação me emprestou o seu livro O Aleph. O conto principal falava de um porão de um casa antiga de Buenos Aires. Lá o personagem principal havia encontrado o Aleph uma esfera da qual se poderia observar todo o universo.
Na época fiquei tão empolgado com a idéia que escrevi minha versão do Aleph, analisando a esfera do ponto de vista da teoria do caos. Meu conto foi publicado em revistas e fanzines de ficção-científica.
Mais recentemente, escrevi um conto chamado “Abelardo ou farsa borgeana” em que atores criam um personagem e acabam sendo mortos por ele. Mais uma vez, paguei meu tributo ao escritor argentino.
Embora seja extremamente literário, Borges acabou influenciando outras mídias. Quase toda a nova geração de roteiristas brasileiros de quadrinhos beberam na sua fonte. E os principais roteiristas britânicos,como Alan Moore (Watchmen) e Neil Gaiman (Sandman) o citam
como influência. Os jardins do Destino, de Sandman, são uma clara referência ao conto A Estrada dos Caminhos que se Bifurcam.
Mas o que torna Borges tão fascinante? Certamente há pessoas mais abalizadas que eu para explicar a importância do autor de Aleph, mas vou tentar numerar algumas características que o distinguem de outros escritores.
Primeiro, claro, a capacidade de síntese. Borges conseguia resumir em algumas páginas histórias que dariam um verdadeiro romance nas mãos de um escritor mais verborrágico. Dizem que ele era tão sucinto em decorrência da cegueira. Sem poder escrever suas histórias, Borges as
redigia na cabeça, parágrafo por parágrafo, frase por frase. Quando finalmente achava que os contos já estavam lapidados, ele os ditava para sua secretária. Em outras palavras, ele transformou sua principal dificuldade, a cegueira, em mérito.
A capacidade de concisão de Borges deveria servir de exemplo para todos os outros escritores ou para qualquer um que queira escrever um texto. Afinal, se podemos expressar algo com 20 palavras, por que usar 50?
A segunda razão são as metáforas. Borges era um espírito enciclopédico. Seus conhecimentos, e sua capacidade de raciocínio eram espantosos. E ele colocava isso em suas histórias, na forma de metáforas. A teoria da informação, por exemplo, encontrou no conto “Funes, el memorioso”, uma excelente metáfora do processo de percepção humana. Funes era um indivíduo de memória fantástica. Ele não só se lembrava de cada folha de cada árvore pela qual já havia passado, como
também de cada uma das vezes que a havia visto ou imaginado. O poder de percepção de Funes não conhecia restrições.
Entretanto, para Borges, Funes era incapaz de pensar, pois pensar é “esquecer diferenças, é generalizar, abstrair. No abarrotado mundo de Funes não havia senão detalhes, quase imediatos”.
O conto oferece uma belíssima metáfora da percepção humana. Percebemos o mundo à nossa volta através de modelos. Vemos um objeto no céu munido de asas e pensamos num pássaro ou num avião. As leis, como a lei da gravidade, são generalizações que contém menos infor-
mação que os eventos às quais se referem. Pensar é descobrir padrões, semelhanças. Para um cientista que pretenda classificar os gatos importa menos o que eles têm de diferente e mais o que eles têm de semelhante.
Por esse exemplo pode-se ter uma idéia de por que até mesmo matemáticos se debruçam sobre a obra de Borges, procurando metáforas reveladoras sobre a realidade.
É que Borges não era só um escritor. Ele era também um filósofo, um semiótico, um matemático, um pesquisador da filosofia da ciência.Mas, apesar de toda a sua sabedoria, e talvez por isso mesmo, ele era um indivíduo bastante humilde. Quando um repórter lhe disse que ele
era um gênio, Borges replicou: “Não creia. São calúnias”.

terça-feira, abril 28, 2009


Já está nas bancas de Macapá a revista Crepúsculo, o mundo real e imaginário, da editora Escala. São 201 perguntas sobre a série. Foi um trabalho mais da minha irmã, Leide Vonlis, e do Matheus Moura, mas eu também ajudei com algumas perguntas, especialmente sobre outros vampiros. Minha irmã, que é fã da série, pode ser considerada a mestra intelectual do projeto. Destaque para a análise que ela fez dos títulos dos livros e das capas. Das minhas perguntas, eu destacaria uma em que eu analiso o significado do mito do vampiro.
Deixa eu corrigir um equívoco: até hoje eu estava disponibilizando o blog do Bonfim Salgado como Vale o Escrito. Bonfim, que é um dos principais colunistas dos jornais amapaenses, está de blog novo, que chama-se simplesmente Bonfim Weblog. Confira.

A sabedoria do futebol

"Chegarei de surpresa dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG."
(Mengálvio, ex-meia do Santos, em telegrama à família quando em excursão à Europa)

"Tanto na minha vida futebolística quanto com a minha vida ser humana."
(Nunes, ex-atacante do Flamengo, em uma entrevista antes do jogo de despedida do Zico)

"Que interessante, aqui no Japão só tem carro importado."
(Jardel, ex-atacante do Grêmio)"

"Eu peguei a bola no meio de campo e fui fondo, fui fondo, fui fondo e chutei pro gol."
(Jardel, ex- jogador do Vasco e Grêmio, ao relatar ao repórter o gol que tinha feito)"

"Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola."
(Bradock, amigo de Romário, reclamando de um passe longo)

"No México que é bom. Lá a gente recebe semanalmente de 15 em 15 dias."
(Ferreira, ex-ponta esquerda do Santos)

"Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe."
(Jardel, ex-atacante do Vasco, Grêmio e da Seleção)

"O Sócrates é invendável, inegociável e imprestável."
(Vicente Matheus, ao recusar a oferta dos franceses)

Leia mais pérolas do futebol no Kafé Roceiro.

segunda-feira, abril 27, 2009

CQC 50


O CQC está comemorando 50 episódios, como um dos melhores da TV Brasileira. Humor e crítica social e política. Faltava um CQC aqui no Amapá.

Dica de blog: Educação a distância.

Inferno na torre do Times

Bíblia do jornalismo americano, o New York Times está sufocado por dívidas, pela recessão e pelainternet – e, se falir, poderá marcar o começo deuma era perturbadora na qual os jornais seriam irrelevantes. Leia mais


Comentários: Parece que no mundo todo, os jornais estão perdendo poder político e anunciantes para a internet... O pessoal do Digestivo Cultural acha que está decretada a morte dos jornais..

Comentários

Os que me conhecem melhor, sabem que fui vítima de um troll. Por essa razão, estou recusando todos os comentários que sejam anônimos. Recentemente, uma pessoa comentou meu post sobre a UVA, mas não se identificou. Para esse e outros casos, eu apaguei, mas basta a pessoa se identificar e eu libero, ok?

domingo, abril 26, 2009


Dia 24 foi comemorando em Belém os 97 anos do cinema Olimpia, o mais antigo em atividade no Brasil. Sempre nesta data a Fundação Cultural de Belem - Funbel homenageia pessoas ligada as artes no Estado do Pará. Neste ano os homenageados foram os criticos de cinema mais antigos e, ainda, em atividade no Estado. Foram homenageados os criticos: Arnaldo Prado Junior (vice-presidente da Associação de Criticos de Cinema do Para); Luzia Alvares (critica de cinema do jornal O Liberal); Pedro Veriano (critico de cinema desde os anos 50) e Acir Castro (Critico de cinema desde os anos 50). No local foi entrege uma placa comemorativa do aniversario do cinema pelo Presidente da Funbel Sr. Raimundo Pinheiro e por Marco Antonio Moreira (Presidente da Associação de Criticos de Cinema do Para e programador do cinema Olimpia). Foi exibido o documentario Cinema Olimpia e o Curta-metragem Uma Palavra do cineasta Joaquim Araujo. Na foto, Luzia Alvares, Pedro Veriano, Raimundo Pinheiro e Arnaldo Prado Júnior.
Tenho uma dívida especial com duas pessoas dessa foto. A Luzia Alvares foi a primeira pessoa a me dar uma oportunidade, me franqueando um espaço em sua coluna no jornal O Liberal. Em decorrência desse espaço, acabei ganhando uma coluna própria nO Liberal, o mais importante jornal da Amazônia à época. E o Arnaldo foi o orientandor do meu TCC de graduação. Nesse TCC falei (pela primeira vez no Brasil) que Watchmen era baseado na teoria do caos.
Meus agradecimentos aos dois.

Festival do Minuto em Macapá


O Festival do Minuto já permite a inscrição de diretores de Macapá. Os diretores podem enviar vídeos sobre qualquer tema. Para concorrer, basta você morar ou ter nascido em Macapá e escolher a opção "diretor de + sua cidade" na hora de enviar o vídeo.
Os prêmios são:
- Celular Nokia para os 2 melhores vídeos das 30 cidades participantes (no final do concurso)
- Prêmio aquisição Nokia: R$ 3.000 mais um celular Nokia para um vídeo escolhido pelo patrocinador no final do concurso
- R$ 500 para o melhor vídeo do mês de qualquer uma das cidades participantes
- R$ 500 para o melhor vídeo de cada uma das 30 cidades (no final do concurso)

sábado, abril 25, 2009

Promoção de vendas



Precisa dizer alguma coisa?

Os 20 melhores quadrinhos

O Franco de Rosa (famoso editor e quadrinista) me pediu a lista dos 20 melhores quadrinhos de todos os tempos. Vai ser publicada junto com a lista de outras pessoas famosas, num especial sobre quadrinhos . Ainda estou pensando, mas vai algumas das possíveis obras (é uma lista provisória, enquanto penso no assunto):

Watchmen, de Alan Moore e Dave Gibbons
V de Vingança, de Alan Moore e David Lloyd
Monstro do Pântano, de Alan Moore (e vários desenhistas)
Sandman, de Neil Gaiman (e vários desenhistas)
Orquídea Negra, de Neil Gaiman e Dave Mckean
Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller
Príncipe Valente, de Hall Foster
Capitão César, de Roy Crane
Companheiros do Crepúsculo, de Bourgeon
Aldebaran, de Leo
Che, de Oesterheld e Breccia
Esquadrão Atari, de Gerry Conway e Garcia Lopez
Um contrato com Deus, de Will Eisner
Maus, de Art Spielgman
Lobo Solitário, de Kazuo Koike e Goseki Kojima
Asterix, de Goscinny e Uderzo
Ken Parker, de Berardi e Milazzo
MAD
X-men, de Chris Claremont e John Byrne
Thor, de Stan Lee e Jack Kirby
Esse último é a maior dúvida. Em uma lista dos 20 melhores quadrinhos teria que entrar algo de Kirby e algo de Stan Lee. Essa dupla teve muitos grandes momentos, mas acho que o Thor foi provavelmente o ápice.
E você, qual a sua lista?

Tem capítulo novo no blog do Galeão. Confira: http://seriegaleao.blogspot.com/

quinta-feira, abril 23, 2009

Gilmar Mendes versus Joaquim Barbosa


A outra briga do dia foi entre os ministros do Supremo Tribunal Federal: Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa. Gilmar Mendes não foi o que mandou soltar o Dantas?

Mainardi versus Marcelo Tas


A grande briga da internet brasileira está sendo o embate entre o colunista da Veja, Diogo Mainardi e o jornalista e apresentador de TV Marcelo Tas. Como o Tas trabalhou na Rede 21, que comprada pelo filho do Lula, Mainardi passou a acusar Marcelo Tas de ter se vendido ao Lula. A briga já vinha se desenrolando em revistas, incluindo a Playboy deste mês, com a entrevista do Tas. Mas estourou mesmo na internet, quando Tas e Mainardi se encontraram no Twitter.
De que lado você está? Eu aposto minhas fichas no Tas. O Mainardi é só um filhinho de papai que descobriu que ganha aplausos quando fala mal do Lula. Cai no primeiro assalto.

terça-feira, abril 21, 2009

Blogueiros viram 'saco de pancada' e reclamam de valentões da internet

Falsa sensação de anonimato gera xingamentos e até ameaças. Se comentários passarem dos limites, blogueiros podem entrar na Justiça. Leia mais

Evolução das marcas


Veja mais aqui.


Mais um que gostou de Watchmen.

Plágio

Assistam aos dois comerciais e digam se não é plágio:

Estamos no Twitter: http://twitter.com/giandanton
50 slogans mais lembrados.

segunda-feira, abril 20, 2009

A naturalidade artificial do Fantástico

Uma das coisas que mais me incomodou na Globo foi a naturalidade artificial. Já fui entrevistado para uma matéria que ia sair no Jornal Hoje e fiquei impressionado em ver como a cena é armada. Domingo o Fantástico apresentou uma matéria sobre Twitter muito natural. Os twitters gravaram os bastidores e mostram o Jeca Camargo montando a cena e dizendo que, apesar da matéria ser sobre o Twitter, ninguém podia falar no Twitter... Dá uma olhada.

Entrevista para o Cine TV News


Hoje fui entrevistado pelo Carlos Amorin, do programa de rádio Cine TV News. Carlos é um velho amigo de Belém, fã de quadrinhos, de Jornada nas Estrelas, de cinema. Nós nos conhecemos na Gibiteca de Belém, quando eu trabalhava lá e ele era um dos frequentadores assíduos. Carlos há muito tempo queria me entrevistar, mas nunca dava tempo. Quando eu ia em Belém, estava na correria, quando ele vinha para Macapá a trabalho, também não tinha tempo. Hoje, demos sorte e conseguimos nos encontrar. Foi mais de uma hora de papo e meia hora de entrevista. Vai ao ar no sábado, na rádio Tabajara, de Belém. Quando tiver mais detalhes, eu aviso. (na foto, eu e o Carlos)

O amigo JJ Marreiro é o entrevistado desta semana do blog Papo de Quadrinhos. JJ é o autor da Mulher Estupenda, dono de um belo traço, baseado nos quadrinhos da Era de Ouro. Confira.

domingo, abril 19, 2009

As aparências enganam

Veja este vídeo no Youtube. Uma mulher que se apresentou em uma programa musical inglês e arrancou risos da platéia por sua aparência. Depois arrancou lágrimas com sua linda voz.

A currutela do bairro do Congós e a dengue

O centro esportivo do bairro do Congós, após a currutela, vira um verdadeiro criadoro para o mosquito da dengue. São copos plásticos, garrafas de cachaça, garrafões de vinho, muito, muito lixo que fica jogado por ali. O pior é que o governo patrocina essa currutela. O mesmo governo que faz campanha na TV contra a dengue.

Aliás, já estão dizendo que a campanha do governo do estado contra a dengue está incompleta. Deveria ser assim:

Você sabe o que fazer para acabar com a dengue...

mas não faz porque é porco.

sábado, abril 18, 2009

A currutela do Congós

Ano passado o Governo do Estado inaugurou o Centro Esportivo do Congós... e o que era uma área residencial calma se tornou um dos locais mais violentos e perigosos do bairro. Com a desculpa de narrar os jogos, foram providenciados potentes equipamentos de som, que ficam tocando músicas no mais alto som por boa parte da noite. Som que traz bandidos, bebâdos, menores... O resultado é uma currutela onde os assaltos se multiplicam. Impressionante é ver o Governo e a Prefeitura permitirem esse estado de coisas.
Enquanto aqui no Amapá muitos ainda não se tocaram para a importância dos blogs, Nos EUA blogs e twiters ajudaram a eleger Obama. A importância da mídia digital foi tamanha que até o presidente Lula já está pensando em criar um blog. A informação é do blog do Diniz Sena.

A Kiara escreveu um belo texto sobre Monteiro Lobato em seu blog Neste Instante. Para quem não sabe, hoje, 18 de abril, é aniversário de Monteiro Lobato.
O texto dela ficou tão bom que resolvi fazer uma blogagem coletiva (ou, como diz a Kiara, uma bobagem - dá na mesma).
Ao contrário da maioria das pessoas, eu não conheci Monteiro Lobato quando criança. Na verdade, eu já devia ter uns 14 anos. Tinha um colega de escola chamado Afonso que tinha a coleção completa de Monteiro Lobato e ficava me falando dos livros. Quando criança, o Afonso tinha ganhado de um padrinho a coleção completa de Lobato, Freud, Jung e mais uma de clássicos da literatura universal (o padrinho era de esquerda e estava fugindo da ditadura - nunca mais foi visto). Então, o Afonso tinha uma base cultural bem sólida quando eu o conheci. Eu, que não tinha um livro em casa porque livros eram considerados um luxo desnecessário, fiquei logo fascinado por esse autor de quem o Afonso falava tão bem. Mas quando eu ia na casa dele, ele nem me deixava pegar nos livros, de tanto ciúmes que tinha deles.
Então, os livros de Lobato ficaram na minha cabeça como uma espécie de tesouro distante, algo meio que inalcançável. Aí eu descobri os sebos e a biblioteca pública e comecei a devorar os livros de Lobato, tanto para adultos quanto para crianças. Tudo que caia nas minhas mãos eu lia, mas o meu predileto era o História do Mundo para Crianças, que eu comprara num sebo. Andava com esse livro para cima e para baixo. Um caso de amor à primeira vista.
Com Monteiro Lobato eu descobri que quem não consegue ensinar algo, é porque não entendeu. Aprendi que não há necessidade de complicar o que é fácil. Mais tarde, quando conheci o conceito de Navalha de Ockhan (segundo o qual, diante de duas explicações, a mais simples é a mais correta) e vi a polêmica de Alan Sockal (um físico americano que escreveu um artigo sem pé nem cabeça e foi publicado por uma importante revista social - depois escreveu um outro artigo dizendo que o artigo só tinha sido publicado porque nenhum dos editores entendeu), eu me lembrei de Monteiro Lobato.
Lobato é uma espécie de pai, um mentor intelectual que nos acompanha sempre. Se Edgar Alan Poe era meu avô, Lobato era meu pai. Ah, para quem quiser conhecer um pouco melhor a vida desse ótimo escritor paulista, há uma biografia dele escrita por mim no site da Virtual Books. E, para quem não sabe, o título deste blog é uma homenagem ao Lobato.

sexta-feira, abril 17, 2009

Roda Viva

Tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente, ou foi o mundo então que cresceu
A gente quer ter voz ativa, no nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva e carrega o destino prá lá
Roda mundo, roda gigante, roda moinho, roda peão
O tempo rodou num instante nas voltas do meu coração
A gente vai contra a corrente até não poder resistir
Na volta do barco é que sente o quanto deixou de cumprir
Faz tempo que a gente cultiva a mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda viva e carrega a roseira prá lá
A roda da saia, a mulata, não quer mais rodar, não senhor
Não posso fazer serenata, a roda de samba acabou
A gente toma a iniciativa, viola na rua a cantar
Mas eis que chega a roda viva e carrega a viola prá lá
O samba, a viola, a roseira, um dia a fogueira queimou
Foi tudo ilusão passageira que a brisa primeira levou
No peito a saudade cativa, faz força pro tempo parar
Mas eis que chega a roda viva e carrega a saudade prá lá

UVA é denunciada pelo MP

O blog da Alcilene Cavalcante divulgou ação movida pelo Ministério Público do Amapá contra a UVA, Universidade Estadual do Vale do Acaraú. O Ministério Público quer que a Universidade indenize cada um de seus alunos no valor de 5 mil reais. Duas perguntas sobre a UVA sempre ficaram no ar:
1) O Conselho Estadual de Educação pode autorizar uma faculdade a funcionar?
2) Se a UVA é uma universidade pública, por que ela cobra mensalidade de seus alunos?

Isso é Belém, isso é Pará, isso é Brasil...

Quem é das regiões sul-sudeste deve estar sabendo que o deputado Luiz Afonso Sefer está sendo investigado por pedofilia. Sefer renunciou ao mandato, no último dia 7 de abril, para não enfrentar um processo de cassação. Ele é acusado de ter abusado sexualmente de uma menina, que viveu em sua casa dos nove aos doze anos. Quem é da região norte, provavelmente não deve saber. Além da imprensa comprada, agora tem também a censura. O blog Quinta Ementa foi proibido, judicialmente, de falar do processo contra o ex-deputado. A informação é do blog da Alcinea Cavalcante. Só falta agora condenarem a menina que ousou denunciar o deputado...

Para quem gosta das eras de ouro e prata dos quadrinhos, uma ótima dica é o blog Golden Age Comic Book. Confira.

Roma


Há algum tempo comprei no Submarino o box da primeira temporada do seriado Roma, mas ficou lá na prateleira, esperando. Nesse carnaval resolvi arriscar assistir a um capítulo e me surpreendi. É muito, muito bom. A série não só é historicamente correta, como também é um exemplo de um roteiro bem costurado, com várias tramas paralaleas tão interessantes quanto a trama principal. A trama principal, claro, roda em torno de Júlio César e sua luta contra Pompeu, numa guerra que transformaria a república num império. Mas os personagens mais carismáticos são os legionários Lúcio Voreno e Tito Pullo.
Destaque também para a sobrinha de César, Átia, mãe de Otávio, que viria a ser o imperador Augusto (para quem não sabe, o mês de agosto é uma homenagem a ele).
Isabela Boscov destacou, numa crítica na revista Veja, que Roma tem o mérito de não tentar impingir a ética cristã aos seus personagens. Vivendo num mundo em que sexo e violência não eram tabus, os personagens revelam um comportamento curioso. Um exemplo: quando Átia desconfia que seu filho Otávio está tendo um caso com César, ela não só se escandaliza como fica honrada e tenta tirar vantagens políticas disso, como uma boa mãe romana.
Os roteiristas pesquisaram a fundo sobre a época (uma das opções do menu permite que apareçam legendas com informações históricas e sobre o dia-a-dia dos romanos), numa obra fascinante. Em meio a curiosidades históricas e várias narrativas paralelas, você acaba viciado.

quarta-feira, abril 15, 2009

O Aprendiz 6

Começou semana passada a edição 6 do programa O Aprendiz. Agora o foco são os universitários, que são chamados de estagiários. Assisti ontem uma prova no Exército. Os leitores do blog sabem que O Aprendiz era o único reality show que eu assistia antes de de fazer a sátira do BBB para a MAD (aí comecei a assistir ao BBB 9 e descobri que isso é uma cachaça, vicia).
Para não fugir do assunto, estou lendo o livro O concorrente, escrito por Stephen King no início dos anos 1980, sobre um reality show em que um homem é caçado pela polícia e família recebe uma quantia em dinheiro por cada dia que ele permanece vivo. Se no final de um mês ele sobreviver, torna-se milionário.
O livro de King é uma espécie de distopia, um mundo tomado pela poluição, em que pessoas fogem de seus problemas assistindo a reality shows sádicos (um deles é uma esteira para pessoas com problemas no coração. Enquanto a pessoa corre, responde a perguntas - se errar, a velocidade aumenta).
Depois de ler o livro, foi inevitável não pensar em como esse tipo de programa tem um caráter sádico. Há até casos de tortura psicológica, como o quarto branco, do BBB.
Em O Aprendiz, quando Roberto Justus fica mais simpático e menos agressivo, a audiência cai.
Ontem uma participante eliminada chorava compulsivamente, engasgando. Tanto o apresentador quanto seus conselheiros, ficaram só lá, olhando, friamente. Talvez até quisessem fazer algo, mas sabiam que um gesto de solidariedade arruinaria a audiência do programa.
Por mais que O Aprendiz seja um programa com o qual se possa aprender algo, especialmente alunos de comunicação e administração, no fundo, no fundo, o que interessa mesmo é ver pessoas sofrendo. Como no livro de King.

Dia do desenhista

Hoje é dia do desenhista. Eu convivi boa parte da minha vida com desenhistas e sei que esses são seres estranhos, que rabiscam tudo que cai nas mãos deles e costumam falar usando onomatopéias. Então, minha homenagem a alguns dos melhores desenhistas com os quais trabalhei.


Bené Nascimento (Joe Bennett) - o meu primeiro parceiro. Juntos, fizemos histórias que revolucionaram o mercado de quadrinhos no início da década de 1990, como a Família Titã (acima). Hoje, ele trabalha para os EUA.
Antonio Eder é dono de um traço limpo e bonito. Costumo dizer que ele consegue passar uma idéia com uma única linha. É um dos meus desenhistas de humor predileto, embora também tenhamos feito histórias em outros gêneros, como a ficção-científica (Manticore). José Aguiar foi um dos grandes amigos que fiz em Curitiba. É também um grande desenhista, com o qual fiz vários trabalhos, com destaque para O Gabinete do Dr. Caligari, versão em quadrinhos do clássico do cinema expressionista. Raphael Salimena é um craque da caricatura. Tem sido o desenhistas das sátiras que tenho feito para a MAD, como essa, do BBB (nas bancas). O homem é fera!
Conheci JJ Marreiro quando fui pela primeira vez em Fortaleza. Além de um grande cara, o homem desenha bem, especialmente no estilo dos quadrinhos clássicos. Aí fiz esse roteiro para sua personagem Mulher Estupenda e estamos pensando em outros trabalhos.

Fiz com Jean Okada vários trabalhos interessantes como Coração das Trevas e a série de FC Exploradores do Desconhecido.

A vocês, meus amigos, meus parabéns!

terça-feira, abril 14, 2009


O site da Panini já disponibilizou uma prévia do MAD 13. Mais uma vez, a matéria de capa tem roteiro meu, sobre a Rephorma Hortografica. Essa edição traz, também uma sátira de Watchmen.

segunda-feira, abril 13, 2009

PARCERIA ENTRE FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO AMAPÁ E A CEA, AJUDA A PROMOVER A CARIDADE

A Federação Espírita do Amapá e a Companhia de Eletricidade do Amapá – CEA firmaram uma parceria que visa arrecadar recursos financeiros para a manutenção e ampliação das atividades sócio-doutrinárias desenvolvidas pela Federação Espírita do Amapá, e de sua obra assistencial, a Casa Chico Xavier.
No mês de abril, as faturas de energia elétrica entregues pela CEA, serão acompanhadas de um folheto explicativo sobre a campanha, bem como de um formulário para assinalar o valor da contribuição social, entre R$ 2,00 e R$ 50,00, para aqueles que desejarem colaborar. O valor escolhido será debitado mensalmente nas próximas faturas de energia elétrica do contribuinte.
Os formulários poderão ser entregues em qualquer Agência de Atendimento da CEA ou na Federação Espírita do Amapá, na Rua Odilardo Silva, 1131 – próximo a Prefeitura.

domingo, abril 12, 2009

O Oscar deste ano teve como principais concorrente dois dos meus diretores prediletos: Danny Boyle , com Quem quer ser um milionário e, David Fincher com Benjamim Burton. Os dois diretores nada convencionais, que concorreram ao Oscar com filmes que fogem muito do que estavam acostumados a fazer. Meu filme predileto de Boyle é Cova Rasa, um dos melhores trillers de suspense que já vi. Do Fincher, é difícil escolher entre Clube da Luta (um filme difícil de definir) e Seven (um dos melhores filmes sobre psicopatas que já vi).

Tanto Quem quer ser um milionário quanto Benjamim Burton são filmes líricos, que fogem do estilo sombrio que caracterizou seus diretores, mas ambos têm um olhar diferente sobre o mundo. Seja uma Índia suja e violenta, vítima de embates religiosos, ou um homem que nasce velho e morre criança.


Hollywood já não é mais a mesma...


Quem quer ser um milionário?


Fomos assistir Quem quer ser um milionário? Muito bom. Dificil destacar o que é melhor: a ótima direção, as ótimas atuações, a trilha sonora... mas eu me surpreendi mesmo com o roteiro. Pelo título do filme, eu esperava algo mais convencional. A opção por contar a vida do protagonistas a partir das perguntas que ele responde era arriscada e poderia se tornar um beco sem saída nas mãos de um escritor menos inspirado.
A história triste de Jamal, que vê a mãe sendo morta, vira mendigo e vê no Programa de perguntas e respostas uma forma não só de melhorar de vida, mas principalmente, de reencontrar sua amada, acaba se tornando uma verdadeira sessão de terapia. O processo de caterse é óbvio, pois torna-se quase impossível deixar de simpatizar com o rapaz.
Apesar de ser uma história de superação, o filme mostra o que, de fato, é a Índia, um lugar muito diferente da novela da oito...

sexta-feira, abril 10, 2009

Ontem foi dia de faxina. Ainda resultado da catita, ou melhor, das catitas, pois logo descobrimos que a primeira era casada e foi necessário se livrar da outra. Então, limpeza geral, álcool em tudo, colocamos livros e revistas dentro de sacos, jogamos fora as revistas em que a catitas haviam mijado (sorte que foi só bagaceira - marvel anos 90, as melhores revistas e livros foram salvos pela proteção plástica), ou trocando os sacos plásticos. No final, valeu a pena, mas fiquei muito cansado. Nisso o vizinho colocou em ação sua aparelhagem. Estava tão alto que tivemos que assistir ao filme com legendas. O som seguiu alto noite adentro, até que resolvi chamar a polícia. Se não fosse isso, não teríamos dormido, pois o som estava tão alto que fazia tremer as paredes...
Vamos ver se o atual prefeito consegue moralizar isso...

Acho que amo minha mulher


Ontem assistimos Acho que amo minha mulher. Confesso que o título é péssimo e meu filho só pegou na locadora porque o filme é escrito e dirigido por Chris Rock, o autor do seriado Todo mundo odeia o Chris. No final das contas, valeu a pena. É uma das comédias mais inspiradas sobre casamento que já vi e tem cenas memoráveis. Chris Rock imprimiu sue estilo ao roteiro, incluindo inserts imaginativos na narrativa, como, por exemplo, no momento em que o protagonista imagina o que aconteceria se ele fosse solteiro. Abaixo uma sinopse:

Richard Cooper (Rock), um compenetrado executivo da área de investimentos, tem de tudo na vida: uma carreira bem-sucedida, uma esposa adorável (Gina Torres) e dois lindos filhos. Só há um problema: ele está sentindo um tédio de matar, principalmente pelo fato dele e sua mulher não transarem! As divagações de Richard sobre outras mulheres são bem inofensivas até que a independente Nikki (Kerry Washington), uma sensual amiga de tempos do colégio, aparece no escritório de Richard, fazendo um joguinho de gato e rato que coloca em teste seu casamento.

As cenas com as desculpas da mulher para não transar estão entre os momentos mais memoráveis. Termina com: ¨Hoje não é seu aniversário!¨.

quarta-feira, abril 08, 2009

EC Comics: da glória ao ocaso


Perseguida por uma campanha moralista, a editora que mudou o mercado de quadrinhos dos Estados Unidos viu seu trabalho definhar após experimentar um sucesso estrondoso, lembrado pelos fãs até hoje. Leia mais

terça-feira, abril 07, 2009

A mulher invisível

O mais novo filme de Selton Melo tem tudo para ser um dos mais legais do ano. Vejam a premissa: Depois de uma desilusão amorosa, Pedro (Selton Mello) se dá conta que encontrou o amor de sua vida. Sua vizinha Amanda (Luana Piovani) é perfeita: faz tudo que ele quer, insaciável e ainda gosta de futebol. A única coisa que ele não sabe, é que ela só existe na cabeça dele. É o tipo de filme que um roteirista vê e diz: ¨Como é que eu não pensei nisso antes?¨. A informação é do 100 grana (link ao lado).

Ontem, meu aniversário, recebi tantas mensagens no Orkut que nem tive tempo de responder a todas. Além disso, a Alcinea Cavalcante e a Kiara Guedes colocaram notas em seus blogs, uma honra que nem tenho como agradecer. Também fui homenageado na comunidade o Orkut Mega Cultura. A Lilian do blog Não me conte seus segredos, me deu um livro, Manual do Pequeno Travesso, segundo ela para eu aprender a ser um pouco travesso, já que sou certinho demais. Da minha esposa ganhei um daqueles quadros que trazem dentro uma miniatura (no caso, a de um barco). Adorei. Quem lê a minha série Galeão sabe que sou fascinado por navios antigos. A todos, meu muito obrigado.

História dos quadrinhos

A edrel: a gênese do mangá no Brasil

Uma das mais interessantes e revolucionárias editoras de quadrinhos do final dos anos 1960 foi a Edrel.
A editora surgiu de outra, a Pan Juvenil, que devia muito a agiotas. Os sócios Salvador Bentivegna e Jinki Yamamoto convidaram Minami Keizi, que havia produzido um álbum de quadrinhos e literatura que tinha forte influência do mangá (quadrinhos japoneses) para ser sócio na empresa nova chamada Editora Edrel.
Um artista do interior de São Paulo, Cláudio Seto, foi chamado para cuidar da revista Humor Negro. Minami Keizi fazia sucesso com seu personagem Tupãzinho, com roteiro dele e desenhos Fabiano Dias. O personagem era tão popular que o autor chegou a receber convite para publicar pela editora Abril, mas não quis. Preferiu engordar sua editora investindo no filão infantil. Seto criou o personagem Flavo para a revista Ídolo Juvenil. Era um misto de ficção com conto de fadas, criado na esteira do sucesso das revistas Contos de Fadas e Varinha Mágica, que a editora Outubro havia lançado anos antes. Mas tanto Humor Negro quanto Ídolo Juvenil haviam chegado nas mãos de Seto na fase de decadência. Seto reclamou e Minami sugeriu que ele apresentasse projetos de outras revistas.
O desenhista lembrou-se dos mangás que lia e propôs uma revista de Ninja e outra de Samurai. O dono da editora gostou e marcou o lançamento para dali a 30 dias. Seria uma tarefa impossível, se o irmão gêmeo de Seto não tivesse chegado do Japão para ajudá-lo. Os dois eram tão parecidos que trocavam de lugar sem que ninguém desconfiasse. Minami gostou do Ninja assim que pôs os olhos no trabalho. Era o tipo de HQ infantil que ele queria. O mesmo não pode ser dito de O Samurai, cujos desenhos não lhe pareceram tão bons e tinha como tema o incesto, um tema indigesto para uma época de censura e ditadura militar.
Eram legítimos mangás brasileiros, lançados três décadas antes dos mangás se tornarem febre entre os jovens ocidentais.
Para surpresa do dono da editora, a revista que acabou agradando foi justamente Samurai, destinada ao público adulto. Ninja durou apenas quatro número e foi cancelada por baixas vendas.
A Edrel tinha como principais artistas descendentes de japoneses, e foi nela que muitos deles introduziram a linguagem de mangá na HQB. Além dos dois irmãos Seto, havia Paulo Fukue, Fernando Ikoma e Wilson Hisamoto.
Seto transformou-se um faz tudo da editora. Além de desenhar e escrever histórias em quadrinhos, selecionava elenco e dirigia a produção de fotonovelas eróticas da cidade Guaiçara, no interior paulista, em plena época de ditadura. A produção de seu estúdio chegava a 150 páginas por mês.
Foi na Edrel que surgiu Maria Erótica, genial criação de Cláudio Seto. Suas aventuras misturavam aventura, erotismo, humor e mistério e foram publicadas entre 1970 e 1972, em diversas revistas da Edrel.
A personagem surgiu como coadjuvante da série Zero-Zero Pinga, uma sátira de James Bond. Era uma repórter do jornal Time is Money, de uma Guaiçara megalópole. Fazia parceria com Beto Sonhador, um detetive particular atrapalhado e mulherengo. "A loura Maria é peituda, de pernas compridas e quadris largos, e desnuda-se com freqüência", define Franco de Rosa, no livro As taradinhas dos quadrinhos.
A personagem não agradou às associações das mulheres católicas, que denunciaram a personagem.
A polícia invadiu a editora, mas, como não encontraram Seto, que morava no interior do estado, levaram os originais das histórias, colocando-os numa cela.
A editora, que marcou época por lançar os primeiros gibis de mangás do Brasil acabou fechando suas portas no início dos anos 1970.
Seto, que morreu ano passado, é considerado o pai do mangá brasileiro. Recentemente seu Samurai foi homenageado no prêmio HQ Mix (o troféu apresentava um busto do personagem)

sábado, abril 04, 2009

Para não dizer que não falei do açaí

Todos que me conhecem sabem que sou um nacionalista assumido, mas sabem também que sou um crítico do nacionalismo ou mesmo regionalismo bitolado.
Para contrapor a idéia de que tudo que vem de fora é melhor, muitos simplesmente afastam a possibilidade de qualquer influência exterior e esquecem que nossa cultura é uma miríade de influências.
Lembro de uma vez, quando morava em Belém. Eu fazia teatro e nosso grupo, os Argonautas, montou uma peça sobre lendas amazônicas para um festival cultural de uma escola. Quando os organizadores do festival descobriram que uma das cenas da peça tinha uma música dos Beatles como trilha sonora, ameaçaram: ou cortávamos a música, ou nossa apresentação seria proibida.
Uma pessoa inclusive foi designada para ficar ao lado do técnico de som para assegurar que não iríamos tocar a canção.
Nós aceitamos, mas preparamos um protesto. Na cena, que era muda, simplesmente fizemos sem nenhuma trilha sonora, o que tirou todo o sentido. No final, colocamos um diálogo sobre pudim. Ao final do diálogo, atores entravam com cartazes de protesto, gritando palavras de ordem contra o pudim e dizendo que o pudim não poderia estar na peça, pois não era regional. De fato, o pudim nem mesmo é uma comida de origem brasileira. Com isso nós queríamos mostrar que na sociedade brasileira é muito difícil definir exatamente o que é realmente nacional e o que não é. Assim, a defesa da cultura regional não pode se tranformar numa miopia.
Um ótimo exemplo dessa discussão é a música Para não dizer que não falei de Açaí, do meu amigo Sandro Gaia. Ele fez um video-clipe da música, que pode ser curtido abaixo. Além da ótima discussão sobre o tema regionalização-globalização, é gostoso de ouvir.

sexta-feira, abril 03, 2009

Suplicy sensual

Ao ligar o computador no dia 19 de junho de 2007, a secretária parlamentar Neisse Dobbin, assistente do senador Eduardo Suplicy, se deparou com uma mensagem quase agônica: "Sei que quem vai ler isso não é o senador, fico frustrada com isso, pois tenho o sonho de conhecê-lo pessoalmente. Acho você um homem inteligentérrimo e muito muito lindo, meu sonho de consumo. [...] Por favor, quem estiver lendo isso, por favor, fale para ele." Neisse falou. E não só falou como guardou o e-mail na pasta vermelha intitulada "Correspondências pessoais femininas!" assim mesmo, com exclamação. A mensagem se juntava, assim, aos outros vinte e-mails impressos, treze cartas, um sedex e seis fotografias que até aquele momento compunham o acervo das mais românticas missivas endereçadas a Eduardo Matarazzo Suplicy. A média está em 400 declarações de amor por ano, o que significa mais de 1,5 suspiro por dia útil. O amor vem de todas as partes e se manifesta com graus variados de sofreguidão. Leia mais.

Propaganda é isso aí


quinta-feira, abril 02, 2009

Tem capítulo novo da história Galeão. Confira.

Obama diz que Lula é 'o político mais popular na Terra'

Presidente dos Estados Unidos elogia Lula em rodinha de líderes antes de reunião do G20: 'Esse é o cara!'.
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira em Londres que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o "político mais popular da Terra".
Obama fez o comentário em uma roda de líderes mundiais, pouco antes do início da reunião do G20, em uma sala de conferência do Excel Center, em Londres. Leia mais

Comentário: E Obama é o mais simpático...
Há algum tempo, o Júlio Daio Borges, do Digestivo Cultural, estava me convidando a voltar a ser colaborador fixo do site. O Digestivo é um dos mais importantes, senão o mais importante site cultural do Brasil e fui colunista por mais de um ano, escrevendo semanalmente artigos e resenhas, principalmente resenhas. Hoje ele entrou em contato comigo e renovou o convite para que eu voltasse a integrar o time fixo, agora numa coluna mensal. Segundo ele, os jovens não estão conseguindo dar conta do recado, razão pela qual, ele está correndo atrás dos veteranos.
Convite aceito, devo começar na próxima semana, provavelmente com um texto auto-biográfico, falando de minha experiência na área editorial.

quarta-feira, abril 01, 2009


O Fernando Meireles criou um blog, verdadeiro diário de seu filme Ensaio sobre a cegueira. Interessantíssimo não só para quem gosta de cinema, mas também para quem gosta de marketing, pois o diretor acaba falando das pesquisas de mercado realizadas para arredondar o filme, especialmente para o mercado norte-americano. Uma das técnicas utilizadas é colocar várias pessoas para assistirem ao filme e depois responderem ao questionário. Depois disso, um grupo menor fica para responder ao grupo foco. Meireles explica direitinho como funciona. Confira.

O Diniz Sena publicou em seu blog uma relação de 10 pen drives criativos. O meu predileto foi esse, no formato de ursinho decapitado.

Música do dia

Age of Aquarius
When the moon is in the Seventh House
And Jupiter aligns with Mars
Then peace will guide the planets
And love will steer the stars
This is the dawning of the age of Aquarius
The age of AquariusAquarius!Aquarius!
Harmony and understanding
Sympathy and trust abounding
No more falsehoods or derisions
Golding living dreams of visions
Mystic crystal revalationAnd the mind's true liberation
Aquarius!Aquarius!
When the moon is in the Seventh House
And Jupiter aligns with Mars
Then peace will guide the planets
And love will steer the stars
This is the dawning of the age of Aquarius
The age of Aquarius
Aquarius!Aquarius!
Harmony and understanding
Sympathy and trust abounding
No more falsehoods or derisions
Golding living dreams of visions
Mystic crystal revalation
And the mind's true liberation
Aquarius!Aquarius!

Era de Aquário
Quando a lua estiver na sétima casa
E jupiter alinhar-se com o marte
Então a paz guiará os planetas
E o amor dirigirá as estrelas
Este é começo da época de aquarius
A época de aquarius
Aquarius!
Aquarius!
Harmonia e compreensão
Simpatia e confiança existirá
Não mais falsos ou ridículos
Sonhos vivos brilhando as visões
Revelação de cristal místicos
E a liberação da verdadeira mente
Aquarius!Aquarius!
Quando a lua estiver na sétima casa
E jupiter alinhar-se com o marte
Então a paz guiará os planetas
E o amor dirigirá as estrelas
Este é começo da época de aquarius
A época de aquarius
Aquarius!Aquarius!

Ih, será que o que aqui se faz, aqui se paga? Ou será que, no final das contas, vale tudo? Não percam o próximo capítulo...

Barack, o bárbaro?


Depois de estrelar a revista do Homem-aranha (a mais vendida do início do ano), Barack Obama vai virar realmente personagem de quadrinhos na série: Barack The Barbarian: Quest for the Treasure of Stimuli. Parece ser uma divertida sátira da política norte-americana. A notícia é do Papo de Quadrinhos.